Jovem e idoso
Jovem e idoso: saiba mais sobre essa mistura de gerações
29 de outubro de 2020
Importância dos probióticos
A importância dos probióticos na terceira idade
3 de novembro de 2020
Exibir tudo

Beber pouca água: como saber se você precisa ingerir mais líquidos?

beber pouca água

Beber pouca água é um problema. A água é essencial para a saúde e nosso organismo reage de formas diversas à desidratação. Conheça alguns sinais de alerta para a baixa ingestão hídrica.

Leia também:

Saiba os riscos da desidratação em idosos

Cuidadores e familiares: entenda sobre a alimentação do idoso

Feridas expostas: cuidados a serem tomamos por um cuidador

Imunidade do idoso: descubra como aumentar

Confira sintomas clássicos de desidratação (beber pouca água) no corpo.

Dores de cabeça e tontura

Dores de cabeça e tonturas podem surgir pela ingesta inadequada de água. Isso ocorre por conta da desidratação em nosso corpo, é uma forma do cérebro mostrar que precisa do precioso líquido.

Esses sintomas ocorrem pela contração dos vasos do cérebro, gerando uma sensação dolorosa. Além disso, sem água suficiente, algumas substâncias não são diluídas, e os rins não conseguem eliminá-las de uma maneira eficaz, piorando a cefaleia.

Boca e pele seca (e flácida)

Em tempos de calor e seca, a ingestão de água precisa ser ainda mais frequente.

A boca e a pele seca indicam a baixa hidratação no corpo. Mas atenção: estes são indícios tardios de que você precisa ingerir líquidos. Quando temos a sensação de sede, nosso corpo já está desidratado, fique atento(a).

Câimbras

As câimbras também podem surgir pela desidratação, isso ocorre devido os nossos músculos precisarem de líquidos para funcionarem normalmente.

Urina escura

A urina fica escura, principalmente, devido a uma alta concentração de ureia, que ajuda a eliminar as proteínas ingeridas. Sem água suficiente, o corpo retém o líquido que está armazenado e reduz a eliminação de água pelos rins, tornando a urina um líquido de cor amarelada (como suco de maçã) e espumoso.

Suor com odor mais forte

Quando bebemos a quantidade certa, ajudamos a diluir as toxinas que devem ser liberadas pelo corpo, diminuindo também o odor do suor.

Prisão de ventre

Aumentar a ingestão de água pode ser um ótimo remédio para quem sofre de prisão de ventre. É que os movimentos peristálticos, realizados de modo involuntário pelo trato digestivo, dependem da hidratação.

Da mesma forma, o bolo alimentar é transformado em bolo fecal com mais facilidade, e chega ao reto da forma adequada para ser eliminado na forma de fezes.

Irritabilidade, fraqueza e cansaço

A água participa de diversas reações químicas no organismo. Por exemplo, se o sistema nervoso é afetado, você pode ter um sintoma emocional, porque algumas proteínas não estão sendo quebradas (hidrolisadas) adequadamente.

Sendo assim, pouca água pode resultar em irritabilidade, indisposição e cansaço. Preste atenção a esses sinais e tome um copo toda vez que bater algum desconforto.

Sensação constante de fome

Muitas vezes, a ausência de água em nosso corpo se manifesta como uma sensação de fome, essa sensação acontece porque o corpo precisa de energia e nutrientes. Não basta apenas comer alimentos “secos” e esquecer da água, ok?

Perda de massa muscular

Nosso corpo também perde massa muscular por haver pouca água disponível. Quando a hidratação diminui em nosso organismo, ocorre um “encolhimento” das células, o que causa a degradação e “quebra” muscular (catabolismo).

Estima-se que aproximadamente 65% do peso do corpo e 75% do peso dos músculos é composto por água. Baseados nesses dados, já podemos notar a grande importância da água na manutenção e ganho de massa muscular.

Atenção: é importante hidratar-se, principalmente quando se faz exercícios físicos, mesmo antes de sentir sede.

Beber pouca água gera sintomas semelhantes à demência em idosos

Idosos que bebem pouca água sofrem um pouco mais do que os mais jovens, com sintomas que podem incluir a confusão mental.

Idosos nestas condições podem ter a situação agravada ao consumir alguns remédios, por isto, cuidadores devem ter a atenção redobrada para evitar o consumo de medicações sem a devida prescrição médica.

Por que a confusão mental aparece nos idosos?

Do ponto de vista da ingesta hídrica, porque (dentre outros fatores) prejudica a eliminação das toxinas presentes no sangue.

Por que tomar cuidado com o idoso que costuma beber pouca água?

Beber pouca água pode ser um problema maior para os idosos porque seu organismo, além de mais sensível, tem o mecanismo responsável por avisar que é o momento de ingerir líquidos “pior ajustado”. Isto significa que o corpo, apesar de ter sede, simplesmente não comunica que é o momento adequado de beber água.

Quanto de água tomar por dia?

A pergunta é simples mas a resposta pode ser complexa. A recomendação usual é de 30 ml por quilo de peso corporal. Desta forma, uma pessoa de 70 quilos (por exemplo) deve tomar pouco mais de 2 litros de água por dia, ou 8 copos médios (cerca de 250ml cada).

No entanto, é importante salientar que a quantidade varia de acordo com cada pessoa, sendo que algumas variantes acabam entrando em jogo.

Um exemplo de variante é aquele idoso que faz uso de medicamento para pressão alta e toma medicamentos que possuem ação diurética. Nesse caso, deve-se caprichar na hidratação.

Como saber se é necessário tomar mais água?

Via de regra, observe a cor da urina. Se estiver clara, quase incolor, a ingestão de água possivelmente está adequada. Uma urina de cor e cheiro fortes são indícios de que a ingesta de água está abaixo do necessário.

Na dúvida, procure seu médico.

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *