Benefícios em contratar um cuidador
Benefícios em contratar um cuidador de idosos: porque vale a pena receber ajuda profissional
23 de fevereiro de 2021
Saturação baixa em idosos
Saturação baixa em idosos: o que fazer
25 de fevereiro de 2021
Exibir tudo

Vale a pena preservar a memória do idoso para as próximas gerações

Memória do idoso

A memória do idoso é a história viva da sociedade. Mas e quando o idoso se for, é possível preservar sua vivência e experiências para a posteridade? O escritor Oscar Silbiger se dedica a este zeloso ofício, confira.

Leia também:

Exercícios de estimulação cognitiva são capazes de estimular a memória do idoso? Clique e confira

7 atividades para manter os idosos ativos

14 filmes imperdíveis sobre Alzheimer

Recuperação de cirurgia: seu familiar passou por uma cirurgia, e agora?

A memória do idoso

O tempo é bem eficiente na tarefa de ir apagando, um a um, os detalhes na nossa memória. E quando nos damos conta, muitas das referências do que vivemos estarão perdidas para sempre, como as nossas conquistas, ganhos, perdas, momentos de superação, tristezas e alegrias que fomos acumulando dia após dia.

Mas, felizmente, nem sempre será este, obrigatoriamente, o único desfecho. Se tivermos de alguma forma resgatado e registrado aquelas informações, haverá a oportunidade de rever tudo quando quisermos, o que será especialmente importante para as gerações futuras que terão ao seu alcance um material de referência único, incluindo, inclusive, fotos e documentos.

Alguns escritores se dedicam a preservar trajetórias vividas. Oscar Silbiger, de 63 anos, é pioneiro no país em transformar histórias de vida de pessoas comuns, não famosas, em livros. E agora também está fazendo eBooks para serem comercializados na Amazon e outras lojas virtuais. “Comecei este trabalho há 40 anos. No início não tinha computador e tudo era datilografado”, explica o escritor.

Se pensamos nos idosos, com suas tantas histórias e experiências, veremos que será uma pena não terem sido devidamente documentadas e compartilhadas, pois poderão servir de referência para tantas outras pessoas.

Sem contar que muitos idosos acabam desenvolvendo doenças degenerativas, como o Alzheimer, que se encarregarão de fazer sumir gradativamente das suas lembranças importantes passagens vividas. Mas se tiverem como rever tudo num livro, reunindo textos e imagens, nada daquilo ficará perdido.

O papel do cuidador na preservação da memória do idoso

Algumas atividades profissionais têm o seu foco principal em pessoas com mais idade, como os cuidadores de idosos. Quem escolhe exercer este importante e necessário ofício, certamente tem o privilégio de conhecer a fundo inúmeros relatos fascinantes a partir das conversas com seus clientes.

Através deste contato tão próximo, acabam construindo um vínculo afetivo bem forte e duradouro.

Além de auxiliar nas atividades básicas cotidianas e lhes fazer companhia por certos períodos, os cuidadores geram melhoria na autoestima dos idosos e cumprem um importante papel de identificar possíveis alterações no comportamento, que poderão ser indicativos de que alguma intercorrência esteja ocorrendo, permitindo tomar as providências médicas ou psicológicas necessárias.

História do idoso no mundo

Os cuidadores têm também a possibilidade de contribuir na elaboração de livro ou eBook que vai retratar a trajetória pessoal, familiar ou profissional do idoso.

Assim a sua história poderá correr o mundo, deixando de ficar restrita ao entorno. Imagine, então, quantas pessoas ao redor do planeta vão poder apreciar e se inspirar naqueles acontecimentos”, comenta o escritor biógrafo, “além de ser uma atrativa fonte de renda adicional para os cuidadores, já que receberão um percentual do ganho resultante do projeto”.

Hoje o Oscar coordena uma equipe de profissionais especializados que cuidam de todas as etapas de elaboração e produção dos livros e eBooks através da sua Editora, a Vida Escrita.

Os cuidadores que ser interessarem nessa proposta poderão atuar como coletores de informações, atividade que não exige experiência, e ocupará pouco do tempo, contando com toda orientação necessária.

As etapas do trabalho serão bem motivadoras. Uma delas se concentrará em organizar as fotos, impressas e digitais, em ordem cronológica, colocando legendas, especificando os locais, datas e nomes de quem estiver nelas.

Muitas fotos impressas antigas acabam se estragando ou grudando umas nas outras por estarem guardadas de forma inadequada”, explica o Oscar. “Dessa forma, importantes referências do passado ficarão praticamente inutilizadas”.

Os familiares certamente aprovarão uma iniciativa motivacional positiva, voltada para a preservação da memória do idoso através do registro de sua história, especialmente na época atual em que tudo começa e acaba tão rápido.

História do idoso

Eternizar aquilo que foi vivido é uma maneira de expressar gratidão e reconhecimento, inclusive de forma póstuma. Toda trajetória, particularmente as que reúnem muitas décadas, se estiver devidamente registrada, contribuirá para evitar que fatos condenáveis venham a se repetir ou tenham seu conteúdo adulterado.

Quando é proposto resgatar uma história real, a partir basicamente das informações passadas pelo idoso, o resultado será um material rico em conteúdo e apreciado com muita emoção e interesse, especialmente pelos descendentes que não têm a menor referência de como era o cotidiano dos seus antepassados, supondo que muito do que se fala deles é pura ficção e que nunca aconteceu realmente.

Como preservar a memória do idoso

Você, cuidador ou familiar, poderá ajudar a resgatar detalhes, desenvolvendo um trabalho que não exige experiência, ocupará pouco do seu tempo e terá ótima remuneração. Sim, cuidadores de idosos podem ser remunerados por indicar clientes e participar da confecção dos livros.

Para mais informações, o escritor Oscar Silbiger por ser contatado por:

Para conhecer o histórico profissional e conhecer mais de 1.900 textos escritos pelo Oscar, acesse seu perfil no Recanto das Letras.

Gostou da ideia de preservar a memória do idoso em livro? Talvez estes artigos também interessem:

Preservar a memória é, antes de tudo, uma atitude de respeito ao idoso

Conheça 12 hábitos que evitam demência

Dama de companhia para idosos: não contrate antes de ler

Adriano Colodette Machado
Adriano Colodette Machado
Fundei a Acvida em 2012 após uma necessidade familiar. Por mais de doze anos, minha avó paterna, Dona Benedita, precisou de acompanhamento por cuidadores. Nossa família encontrou todo tipo de dificuldade para atendê-la: pequenos furtos, profissionais pouco qualificados, até maus tratos. Não foi fácil. Mas contornamos os problemas e conseguimos oferecer a ela todo o carinho e conforto que merecia. Percebi uma demanda reprimida por serviços profissionalizados, e com minha experiência em negócios (desde 2003) criei a Acvida. No Blogdocuidado vou compartilhar essa bagagem com nossos leitores. Espero que gostem ;-)

1 Comment

  1. Rosália Alencar disse:

    Sou cuidadora em Juazeiro, BA, e gostei bastante deste trabalho. Atendo hoje 7 idosos que tem muitas historias pra contar. Conversei hoje com três pessoas da familia deles e se interessaram. Vou entrar contato para saber como começar nesse trabalho. Conheço muitas cuidadoras na minha região que poderão trabalhar também. Muito obrigada. Rosália

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preciso de um Cuidador