Doença ELA
Doença ELA: Esclerose Lateral Amiotrófica
10 de outubro de 2020
Cuidador informal
Cuidador formal vs cuidador informal
14 de outubro de 2020
Exibir tudo

Atenção domiciliar ao paciente debilitado

Atenção domiciliar

A atenção domiciliar é uma das maneiras de assistir à saúde dos pacientes de forma mais humanizada e confortável em suas residências. Entretanto, muitas pessoas ainda possuem dúvidas relacionadas a esse tipo de serviço.

Confira abaixo, todos os detalhes desse tipo de serviço, e entenda ainda como ele funciona na prática.

Leia também:

Saúde do idoso: pergunte ao especialista

A importância do monitoramento de idosos

Importância do acompanhante de idosos

O que é e como contratar um cuidador de idoso folguista ou nos finais de semana

O que é a atenção domiciliar? 

Atenção domiciliar é uma forma de atenção à saúde, caracterizada por um conjunto de ações que visam a promoção da saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação dentro do lar do indivíduo. Essa modalidade tanto garante a continuidade do cuidado como também integra à Rede de Atenção à Saúde.

Lembrando que as abordagens são diferenciadas, sendo que esse tipo de serviço está disponível no próprio Sistema Único de Saúde (SUS). Na assistência privada vários planos de saúde trabalham com essa modalidade, inclusive com reduções de custos consideráveis comparados às hospitalizações.

Nesse tipo de atendimento o paciente é assistido por uma equipe multiprofissional. Usualmente a equipe de enfermagem oferta assistência contínua e os demais profissionais de saúde atendem com intervalos regulares.

A atenção domiciliar proporciona ao paciente um cuidado que utiliza a infraestrutura da residência, complementados pelos equipamentos de saúde e recursos humanos especializados. Ainda que essa assistência seja prestada fora do ambiente hospitalar, procedimentos normas e rotinas serão adequadas e exigidas por órgãos fiscalizadores (vigilância sanitária e conselhos profissionais por exemplo) visando a segurança e qualidade do atendimento ao paciente.

Esse processo, quando bem executado, é capaz de evitar hospitalizações desnecessárias, diminuir o risco de infecções, e complicações do quadro do indivíduo.

Ademais, permite ainda a melhoria da gestão dos leitos hospitalares e ainda do uso dos recursos, bem como é capaz de diminuir a superlotação de serviços que são de urgência e emergência. 

Como funciona a atenção domiciliar?

A atenção domiciliar, muito conhecida como Home Care, traz diversas vantagens por ser capaz de oferecer um atendimento mais completo e personalizado. 

Cada paciente recebe um tratamento de acordo com suas necessidades e indicações clinicas, e ainda pode contar com diferentes profissionais da área da saúde no conforto de sua casa, sem precisar se afastar dos seus entes queridos.

Essa modalidade de atendimento vem crescendo no Brasil e sua abordagem mais humanizada e individualizada, permite maiores chances de recuperação, com um riscos menores de infecções, internações e complicações clínicas.

Esse tipo de atenção pode ser: internação domiciliar e atendimento domiciliar. A primeira é capaz de atender pacientes estáveis clinicamente e que precisam completar tratamentos sob supervisão médica. 

Já o atendimento domiciliar é voltado para casos de menor complexidade, podendo, assim como na internação domiciliar, ser necessária administração de medicação injetável como anticoagulantes, antibióticos, a realização de procedimentos como curativos, sondagens urinária e para alimentação.

Qual o objetivo da atenção domiciliar?

O objetivo da atenção domiciliar é justamente o de cuidar o paciente em sua residência, proporcionando a ele maior conforto e autonomia.

Qual a importância da assistência domiciliar? 

A atenção domiciliar consiste na promoção de atenção à saúde das pessoas doentes crônicas, agudas ou incapacitadas com qualquer idade e que obedeçam os critérios de elegibilidade para assistência em domicílio. Os critérios são definidos pelos serviços de saúde e são validados pela equipe médica responsável pelo paciente.

É melhor optar pelo serviço domiciliar ou pelo serviço hospitalar?

Depende muito dos problemas que a pessoa possui, lembrando que estando em seu ambiente domiciliar a pessoa tende a se sentir mais à vontade e a ser mais colaborativo, proporcionando condições para tratamento e recuperação mais efetivos.

Como foi mencionado anteriormente, é o médico quem deverá decidir se o cliente precisa ou não ser internado no hospital ou pode ser tratado em casa.

O paciente precisará estar com quadro clínico estável, dando condições de continuidade de seu tratamento no domicilio. Além disso, há várias outras especificações que podem ser levadas em consideração na hora de permitir ou não que essa pessoa seja trada nesse regime. 

Como funciona o serviço de internação domiciliar?

Para receber atenção domiciliar é válido entender seu funcionamento. O médico do paciente internado deve solicitar uma avaliação quanto a pertinência técnica da indicação de Home Care.

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *