Transmissão do covid-19
Transmissão do Covid-19
9 de junho de 2020
Medicamentos para idosos
Medicamentos para idosos
11 de junho de 2020
Exibir tudo

O que é e como tratar a infecção urinária em idosos?

Infecção urinária

A infecção urinária em idosos (ou infecção do trato urinário, também conhecida como ITU) é uma das doenças bacterianas mais comuns que podemos enfrentar. O transtorno não escolhe quem vai afetar pelo sexo ou pela faixa etária, embora seja muito frequente em mulheres e idosos.

No caso da terceira idade, como a imunidade tende a ser mais baixa, alguns cuidados são indispensáveis.

Leia também:

Saúde do idoso: pergunte ao especialista

O Uso de fraldas geriátricas. Como usa-las e porque usá-las

Colostomia: Conheça o recurso que salva muitos idosos

A pneumonia em idosos: por que devemos manter a atenção?

De acordo com o Projeto Diretrizes, da Sociedade Brasileira de Urologia, estima-se que a infecção urinária em idosos atinja 20% das mulheres e 10% dos homens. Acima dos 80 anos de idade, a diferença entre os gêneros diminui mas, em contrapartida, a porcentagem da incidência duplica.

Levando esses dados em consideração, faz-se fundamental estarmos atentos ao diagnóstico e aos procedimentos diante da infecção urinária em idosos. Quando há a necessidade de fraldas geriátricas, por exemplo, uma atenção extra e profissional quanto à higiene não pode ficar de fora. Hoje conversaremos a respeito dessa pauta.

Neste artigo, o Dr.Aurélio Ricardo Troncoso, cirurgião geral e residente do Serviço de Urologia do Hospital de Base do Distrito Federal, responde algumas perguntas sobre infecção urinária feita por nossos leitores.

O que é a infecção urinária em idosos?

O quadro infeccioso em idosos pode afetar qualquer parte do seu sistema urinário. Bexiga, rins, uretra e ureteres estão sujeitos à presença de bactérias nocivas. No entanto, a parte inferior composta por uretra e bexiga é comumente a mais atingida.

Podemos diferenciar tais especificidades pelas suas devidas nomenclaturas:
Cistite – que é, normalmente, causada pela bactéria proveniente do intestino chamada Escherichia Coli, afetando a bexiga;
Uretrite – que é a infecção da uretra, frequentemente associada à cistite;
Pielonefrite – que consiste no avanço da infecção para um ou ambos os rins, levando à consequências ainda mais sérias se não for adequadamente tratada, inclusive com danos permanentes ou fatais.

Um dos fatores mais preocupantes sobre essa doença é que ela é muito comum mas nem sempre detectável com facilidade. Nos idosos, os sintomas podem passar despercebidos ou serem confundidos com outras debilidades físicas e até mesmo mentais.

O que causa infecção urinária em idosos

As infecções, em termos gerais, se devem à presença de micro-organismos nocivos no organismo, dentre eles as bactérias, os vírus e os fungos. Diante disso, o cuidado com o sistema imunológico está intimamente relacionado com a capacidade do organismo em combater a proliferação de micróbios.

Entre os homens, a manifestação de processos infecciosos de trato urinário também são decorrentes do aumento da próstata. Além disso, o uso de sondas urinárias pode levar à uretrite.

Entre as mulheres, a própria anatomia do corpo está relacionada com o problema. Isso porque a uretra feminina é menor, o que deixa a bexiga mais exposta ao risco. Alterações hormonais e o enfraquecimento da estrutura muscular da pélvis por conta de demasiados partos também demandam de atenção.

Infecção urinária em idosos pode causar confusão mental

Na terceira idade, o organismo dificilmente desenvolverá febre por conta da infecção. Por isso, a pessoa que convive com o idoso e o médico precisam ficar atentos a sintomas inusitados, como

  • Mudanças repentinas de humor;
  • Confusão mental quanto ao nome de pessoas ou lugares;
  • Rejeição ao banho e à higiene pessoal;
  • Falta de apetite incomum;
  • Acessos de agressividade ou de muita calmaria no seu comportamento habitual;
  • Urina escura ou acompanhada de sangramentos, com odor acentuado;
  • Aumento na frequência normal das micções ou trocas de fraldas;
  • Tendência a sentir vontade de urinar, mesmo ao ter acabado de sair do banheiro. Com o tratamento adequado, esses e outros sintomas tendem a ser amenizados ou a sumir.

Infecção urinária sem sintomas

Dr. Aurélio, uma infecção urinária sem sintomas deve necessariamente ser tratada?

Dr. Aurélio: Não necessariamente. Existe uma classificação dentro da infecção do trato urinário denominada “Bacteriúria Assintomática”, que basicamente trata-se de presença de bactéria na urina, porém sem causar colonização do epitélio da bexiga e assim levar aos sintomas clássicos da infecção do trato urinário.

Pacientes com bacteriúria assintomática não devem ser tratados, excetuando gestantes e pacientes que serão submetidos a procedimento cirúrgico urológico com possibilidade de violar a mucosa do trato urinário.

Infecção urinária de repetição em idosos

Dr. Aurélio, infecções urinárias recorrentes não são incomuns em idosos auxiliados por cuidadores. É possível minimizar as chances de ocorrer?

Dr. Aurélio: As principais estratégias para minimizar as chances de idosos serem acometidos por infecções de urina pauta-se na higienização adequada da região perineal.

No caso de idosos homens que conseguem realizar atividades por conta própria, orientar a retrair o prepúcio (pele que recobre a glande) antes de urinar e após a micção secar a região com papel higiênico. Durante o banho, sempre lavar a glande com água e sabão e secar bem após.

Nos casos de mulheres idosas que conseguem realizar atividades por conta própria, orientar a realizar a limpeza do introito uretral após a micção (não limpar toda a região com o mesmo papel pelo risco de carrear microorganismos da região anal e vaginal para o introito uretral) e a lavagem da região da vulva com água e sabão e correta secagem da região.

Em pacientes que necessitem de auxílio para realizar atividades de higiene pessoal, as orientações são as mesmas, com a diferença que tais cuidados serão realizados pelos cuidadores ou familiares.

Em pacientes que fazem uso de sonda vesical de demora, devem ser realizadas trocas regulares da mesma de 21/21 dias (alguns protocolos sugerem de até 28/28 dias).
Em pacientes que fazem cateterismo intermitente, a adequada higienização da região genital antes dos procedimentos é indicada para diminuir as chances de infecção de trato urinário.

A troca regular e diária de roupas íntimas e a troca de fraldas ao longo do dia sempre que estiverem sujas é essencial para minimizar a chance de infecções do trato urinário.
Uma oferta hídrica adequada também é fator protetor contra infecções do trato urinário.

Tratamento da infecção urinária na terceira idade

Após a percepção dos sintomas por quem faz o serviço de cuidador de idosos, é preciso procurar assistência médica para um diagnóstico preciso e comprovado por exames. O geriatra ou o urologista são os especialistas mais indicados, ainda que o clínico geral também possa ajudar.

O tratamento vai de acordo com cada tipo de infecção e também leva em consideração a sua gravidade e persistência. No geral, ele é feito com o uso de antibióticos e analgésicos. É imprescindível atentar para posologia e seguir corretamente as orientações médicas.

Além disso, são recomendados algumas ações pontuais e medidas protetoras tendo em vista evitar o avanço e a reincidência da infecção urinária em idosos. Dentre elas:

  • Observar sempre as características da urina e a sua quantidade média;
  • Evitar que o idoso retenha a urina por muito tempo na bexiga;
  • Controlar o uso de roupas íntimas, para que não sejam muito apertadas e não fiquem úmidas;
  • Reparar no comportamento do idoso, buscando pelos sintomas relacionados ao quadro;
  • Ter cuidados extra na hora do banho e na higiene da região genital;
  • Manter, no caso de necessidade de fralda geriátrica, o máximo de asseio durante as trocas das mesmas, que por sinal devem ser frequentes;
  • Proporcionar uma alimentação adequada e nutritiva para fortalecer a imunidade do paciente, além de acesso e incentivo constantes à ingestão de água.

Contudo, em ambos os gêneros a necessidade de usar fraldas geriátricas é motivo para atenção redobrada. A higiene adequada e frequente da região genital se torna ainda mais importante nessas condições para que se evite a infecção urinária em idosos.

A troca de fraldas influência na infecção urinária?

Dr. Aurélio, o uso recorrente de fraldas geriátricas aumenta a incidência de infecções urinárias. Há outros fatores de risco para tais infecções? Há diferenças significativas de homens para mulheres?

Dr. Aurélio: Outros fatores de risco relacionados são poucas trocas das fraldas geriátricas ao longo do dia (o paciente deve sempre ser mantido limpo e seco), a limpeza imediata e cuidadosa do paciente após evacuação ou micção em fraldas geriátricas. As mulheres têm maior chance de contrair infecções de urina do que homens em todas as faixas etárias.

Dentre os fatores que possibilitam maior probabilidade está no fato da uretra feminina ser consideravelmente mais curta do que a dos homens, facilitando com que bactérias possam ascender até a bexiga de maneira mais fácil.

Nas mulheres, a proximidade do introito uretral com o canal vaginal e anus também é um fator de maior probabilidade de infecções de urina, uma vez que bactérias podem ser transportadas mais facilmente para a uretra e daí para a bexiga, podendo assim causar infecção do trato urinário. 

Alimentos podem desfavorecer em relação a infecção urinária?

Dr. Aurélio, há alimentos que podem favorecer, ou desfavorecer, o aparecimento de infecções urinárias? Há alimentos que podem ser utilizados como coadjuvantes no tratamento do problema?

Dr. Aurélio: Muito tem-se falado sobre alimentos com fator protetor das vias urinárias e com poder de auxiliar no tratamento e de impedir novas infecções, como o Cranberry.

Apesar das informações existentes, as últimas metanálises à respeito do uso de tais alimentos não corroboraram benefício no uso de tais substâncias como fator protetor das vias urinárias contra infecções.

Em termos dietéticos o que sabemos com vasta comprovação científica é que o consumo de água adequado diariamente é o nosso grande fator protetor contra infecções do trato urinário. 

Como evitar infecção urinária em idosos

Uma vez que estamos cientes das causas mais comuns para processos infecciosos de trato urinário, podemos partir para as estratégias preventivas que visam evitar a incidência do transtorno. É claro que esse é apenas mais um dentre outros tantos cuidados e procedimentos ao lidar com idosos.

Mas essa delicada fase de nossas vidas é, de fato, suscetível a dificuldades que exigem nossa atenção. Conheça algumas das formas de prevenir infecção urinária em idosos ou, ao menos, impedir que ela se agrave:

  • Alimentação: tomar cuidado com o cardápio e a ingestão de líquidos é fundamental para que o organismo da pessoa na terceira idade fique bem nutrido e tenha mais resistência;
  • Higiene: o idoso enfrenta, inevitavelmente, progressivas dificuldades em cuidar da própria higiene e precisa ser auxiliado para que esse importante aspecto não seja negligenciado;
  • Observação dos sintomas: vontade frequente de urinar, dores abdominais, mudança na cor e no odor da urina, febre e alterações no apetite estão dentre os sintomas que devem ser observados e que podem estar relacionados à incidência de problemas na uretra, bexiga e rins;
  • Acompanhamento médico: além dos cuidados do dia a dia, as consultas periódicas com o clínico geral e/ou o urologista são essenciais para mais saúde e bem estar na terceira idade;
  • Administração de medicamentos: o tratamento da infecção urinária em idosos precisa ser cumprido à risca conforme as orientações do médico e jamais substituído por compostos caseiros ou automedicação.

O auxílio do cuidador de idosos

O auxílio de um cuidador habilitado para o acompanhamento de pessoas na terceira idade ou debilitadas, é muito indicado para que os itens descritos acima sejam observados e colocados em prática adequadamente.

O profissional tem a expertise necessária inclusive para evitar outros transtornos como quedas do idoso no banheiro, além de ajudar a prevenir e a auxiliar no tratamento da infecção urinária em idosos.

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

17 Comments

  1. Antonio disse:

    Minha mae com 94 anos esta com infec. Urinaria…ja tomou 1compr. De clavulin com rejeicao alergica..Foi mudado para ciprofloxacina que apos o primeiro comprimido tambem houve rejeicao com alergia que deixa a pele do corpo avermelhada e coceira…suspendi mas como poderei tratar isso com tanta rejeicao ? Ela usa fralda 24 hs….obrigado

    • Adriano Colodette Machado disse:

      Prezado Sr. Antônio, podemos ajudar com a higiene pessoal e com a correta execução dos cuidados, basta preencher seus dados em acvida.com.br/querocuidadores e entraremos em contato. Sobre a parte médica, recomendamos procurar um urologista. Um homeopata e até um acupunturista podem ser alternativas caso os tratamentos tradicionais falhem. Abordagens com nutricionistas também podem ajudar em alguns casos. Cordialmente: equipe – acvida.com.br –

  2. Gilmar lemes disse:

    Tenho 58 anos tive infecção altíssima o normal é 10000 né? O meu estava 29000 fis o tratamento caiu prá 9000 será que pode voltar a subir outras vezes mais?

    • Adriano Colodette Machado disse:

      Olá Gilmar, obrigado pela participação. É essencial consultar seu médico para esclarecer a situação, um abraço.

    • Beatris Jesus disse:

      Minha mãe está internada acho que são falhos os cuidados médicos pois no próprio hospital, é a terceira infecção, ela tem 79 anos por ser idosa não está recebendo atenção, deixam ela com coco por várias horas, isto é constante porque o familiar troca peço ajuda de Deus porque só ele pode curar ela agora.

  3. Meu avô está com infecção urinária forte qual medicamento mas indicado para ele ele está usando sonda

    • Adriano Colodette Machado disse:

      Olá Priscila, obrigado por acompanhar o Blog da Acvida. As orientações que fazemos tem caráter geral, ou seja, não substituem uma avaliação personalizada de um profissional competente. Por isso, sugerimos que procure um médico.

  4. Manuel Lourenço disse:

    Manuel Lourenço boa tarde tenho 75 anos tive um acidente de trabalho em Setembro 1980 onde fiquei paraplégico onde faço as necessidades através de medicação apropriada acontece desde que tive p acidente tenho ando praticamente sempre com infecção para urinar uso um urinar com um saco que desifeto todos os dias e faço a higiene todos os dias e mudo saco de cama todos os dias e urinares e sacos de perna de 4 em 4 dias praticamente ando sempre com infecção o meu medico assistente receita-me furandantina para tomar á noite e monuril para tomar quando sinto que a infecção seta a avançar quando me queixo ao médico diz-me que isto é um infecção cronica que tenho que me aguentar será que não á outro medicamento obrigado se me poder ajudar o meu email é [email protected]
    os meus agradecimentos

    • Editorial Acvida disse:

      Olá, Manuel
      Obrigado por acompanhar o Blog da Acvida. As orientações que fazemos tem caráter geral, ou seja, não substituem uma avaliação personalizada de um profissional competente. Por isso, sugerimos que procure um médico.

  5. Luis Felipe Barbosa disse:

    Olá, minha mãe está com infecção urinária e muito indisposta há uma semana, amanhã acaba o antibiótico, ela teve melhora nas dores mas está indisposta e sem apetite. Pode ser outro problema? Devemos voltar ao hospital?

    • Editorial Acvida disse:

      Olá Luiz, Como vai? Obrigado por acompanhar o Blog da Acvida. As orientações que fazemos tem caráter geral, ou seja, não substituem uma avaliação personalizada de um profissional competente. Por isso, sugerimos que procure um médico. Um abraço.

    • Maroca disse:

      A minha mãe também está e está tomando traruril mas não vê melhoras.
      Vocês podem me ajudar?

      • Editorial Acvida disse:

        Olá, obrigado por acompanhar o Blog da Acvida, as orientações que fazemos tem caráter geral e não substituem um atendimento personalizado, sugerimos que procure um médico.

    • Sou pre diabética, tenho 63 anos e glicose 129.
      Tenho Infecção urinaria ha 13 anos.Ischeria colli .Vai e vem. Fiz tratamento por 6 meses com macrodantina e urovaxon, tomei todos os antibióticos que vem na lista do exame de sangue. Passei por varios medicos e nunca fico boa. Essa doenca nao tem cura?
      Posso usar rejuvelac para melhorar o intestino e melhorar a imunidade? Obrigadapela atenção.

      • Editorial Acvida disse:

        Olá Regina, nossas orientações tem caráter geral e, não substituem uma avaliação personalizada de um profissional competente.

        • Rosária SILVA DE OLIVEIRA disse:

          Olá, minha mãe está com esse problema de infecção urinária, já tomou os antibióticos e nao passa essa terrível dor no pé da barriga e dor ao fazer xixi.Ela tem 65 anos, não sei oque fazer mais.

          • Editorial Acvida disse:

            Olá Rosária, como vai? obrigado por acompanhar o Blog da Acvida. As orientações que fazemos tem caráter geral, ou seja, não substituem uma avaliação personalizada de um profissional competente. Por isso, sugerimos que procure um médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preciso de um Cuidador