Doença Gota
Doença Gota, Doença da Gota ou “Gota Serena”
9 de outubro de 2020
Atenção domiciliar
Atenção domiciliar ao paciente debilitado
13 de outubro de 2020
Exibir tudo

Doença ELA: Esclerose Lateral Amiotrófica

Doença ELA

A Doença ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) ficou bem conhecida depois que Stephen Hawking, famoso físico britânico, mostrou-se por anos sobre uma cadeira de rodas. Não há cura e muitas são as dúvidas a respeito desse problema, saiba mais.

Leia também:

Boa alimentação é a chave para combate a doenças

Quais são as doenças mais comuns na terceira idade?

Sobre a doença de Alzheimer: o que cuidadores e familiares precisam saber

O que é a doença ELA? 

A Doença ELA é um mal neurodegenerativo progressivo que ataca o sistema nervoso, acarretando uma paralisia motora progressiva irreversível e completamente limitante. Não existem tratamentos capazes de levar à cura.

Tem maior incidência em pessoas com idade entre 55 e 75 anos de idade. Porém, não é impossível encontrarmos jovens acometidos por essa doença.

Quais os sintomas que a doença ELA apresenta? 

Os sintomas mais comuns da Doença ELA são a perda gradual da força e coordenação muscular, levando à incapacidade de realizar tarefas rotineiras, dificuldades para engolir e respirar, dentre outros.

Com o passar do tempo, esses sintomas podem fazer a pessoa engasgar com facilidade, gaguejar, a cabeça tende a ficar caída, cãibras e contrações musculares involuntárias tornam-se frequentes.

Enquanto a pessoa consegue falar, perceber-se-á problemas de dicção graduais, tornando o padrão de fala mais lento. A respiração torna-se mais difícil, assim como a alimentação, o que ocasiona perda de peso.

Eventualmente, um cuidador será necessário para a manutenção das atividades de vida diária do paciente.

O que provoca a doença ELA? 

Cerca de 10% dos casos são associados a problemas genéticos, embora todas as causas da ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) não são totalmente conhecidas.

Alguns estudos sugerem que atividade física extenuante (como no caso de atletas profissionais), exposição a agrotóxicos e a campos eletromagnéticos de alta intensidade, assim como o tabagismo, estão associados ao aparecimento da doença, que faz com que os neurônios se desgastem e morram prematuramente, não conseguindo mais enviar mensagens aos músculos.

Leia ainda:

2 boas notícias sobre Alzheimer: não deixe de ler

8 dicas de prevenção de doenças nos idosos

O que cuidadores e familiares precisam saber sobre o cuidado a idosos com o Mal de Parkinson

Qual exame detecta a Doença ELA?

O diagnóstico da Doença ELA deve prescindir dos seguintes procedimentos, sempre com acompanhamento do médico assistente:

  • Exames de sangue que servirão para descartar outras doenças;
  • Teste respiratório: servirá para analisar se os músculos dos pulmões foram afetados ou não;
  • Tomografia computadorizada ou ressonância magnética da coluna cervical: servem para garantir que a pessoa não possui lesão ou doença no pescoço que pode trazer sintomas semelhantes à ELA;
  • Eletromiografia (estimulação dos nervos periféricos, sensitivos e motores, ao longo da coluna vertebral, por meio do uso de uma corrente elétrica): determina quais nervos não funcionam da forma correta;
  • Teste genético: para verificar se há histórico familiar dessa doença;
  • Ressonância magnética ou tomografia computadorizada da cabeça: servirá para excluir outras doenças;
  • Testes de deglutição;
  • Punção lombar;
  • Estudos de condução nervosa;

Como diagnosticar a doença ELA? 

Além dos exames acima, é preciso realizar a análise do histórico do paciente, pois os sintomas da doença ELA são comuns a diversas disfunções. Isto faz com que o paciente, por vezes, diversos profissionais médicos antes de confirmar o diagnóstico correto. 

(Fonte: Dr. Francisco Rotta, médico do serviço de Neurologia e Neurocirurgia do Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre-RS)

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preciso de um Cuidador