Atividades de vida diária
Atividades de vida diária
25 de maio de 2020
Auxílio ao idoso
Auxílio ao idoso
28 de maio de 2020
Exibir tudo

Acompanhante de idosos

Acompanhante de idosos

A necessidade de um cuidador de idosos, também chamado de acompanhante de idosos, tem crescido a cada dia. Veja as competências que um cuidador tem e os seus direitos. Saiba 10 perguntas que o cuidador deve fazer para si mesmo antes de aceitar cuidar de um idoso.

O objetivos deste artigo é apresentar o profissional cuidador e como ele se insere no contexto do cuidado. Descrever as suas competências, atribuições e como ele está enquadrado no rol de categorias descritas pelo Código Brasileiro de Ocupações.

Leia também:

Cuidador trabalhando como MEI (Micro Empreendedor Individual) é legal?

Vagas de cuidador de idosos

Saúde do idoso: pergunte ao especialista

Quero um Cuidador de Idosos

O cuidador: acompanhante de idosos

Historicamente a figura do cuidador esteve presente no domicílio de famílias que sofrem com a doença de um ente querido. Usualmente esse cuidador é um familiar ou pessoa de confiança da família que assiste ao doente, remunerado ou não, conciliando os cuidados com outras atividades no lar, inclusive domésticas.

Atualmente, o cuidador profissional faz parte de um rol de profissionais que contemplam a categoria doméstica. Segundo o Ministério do Trabalho (MTE, 2007), cuidador de idosos compreende uma função dentro da categoria de profissionais domésticos, representada pelo Código Brasileiro de Ocupações (CBO) no 5162-10.

Outros termos também podem ser empregados para designar a categoria, como acompanhante de idosos, cuidador de pessoas idosas e dependentes, cuidador de idosos domiciliar e cuidador institucional (MTE, 2007).

O CBO representa uma uniformização de ordem administrativa, diferente de regulamentação profissional que é regida por meio de uma lei, apreciada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente da República. (MTE, 2007).

O que é o cuidador profissional

O cuidador profissional tem uma atribuição que requer muita responsabilidade, pois resguarda as funções primordiais de vida de pessoas que não são capazes de realizar seus próprios cuidados de forma integral ou parcial. Segundo o MTE, o cuidador exerce atividades “a partir de objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”.

Hoje há poucos profissionais qualificados, que não têm muita vivência prática com os cuidados, enquanto existem muitos outros com experiência vasta, mas sem capacitação técnica.

A baixa escolaridade de muitos profissionais é uma realidade bem frequente, pois não há uma exigência legal de formação mínima ou básica para desenvolver trabalhos domésticos, dentre eles, os cuidados a pessoas dependentes em domicílio.

O cuidado domiciliar requer muito mais do que habilidades técnicas. Ele requer sensibilidade para lidar com as angústias de famílias que sofrem por acompanhar a progressão de problemas de saúde muitas vezes degenerativos e irreversíveis. Requer também noções de ética, comportamento e postura profissional, ciência dos seus direitos e deveres e normas de segurança doméstica, tanto para se relacionar com o assistido quanto para suas demandas físicas e emocionais.

Amor ao trabalho

O cuidador é o elo entre o assistido, a família e a equipe de saúde. Além das habilidades adquiridas e desenvolvidas, o profissional deve apresentar afinidade para o serviço do cuidar, ter amor ao ofício e dedicação à pessoa a ser cuidada.

Todas as características necessárias para qualquer trabalho são também essenciais na atribuição de cuidador, como responsabilidade, pontualidade, assiduidade, compromisso, respeito, iniciativa, formação mínima e experiência para o cargo.

Carinho, sensibilidade, paciência, delicadeza, discrição, bom humor e capacidade física e emocional para lidar com a carga de trabalho exigida nos cuidados também são atributos usualmente referidos pelos familiares que buscam cuidadores para seus entes queridos.

Papel do cuidador

  • Manter capacidade e preparo físico, emocional e espiritual.
  • Cuidar de sua aparência e higiene pessoal.
  • Demonstrar educação e boas maneiras.
  • Adaptar-se a diferentes estruturas e padrões familiares e comunitários.
  • Respeitar a privacidade da pessoa idosa.
  • Demonstrar sensibilidade e paciência.
  • Saber ouvir.
  • Perceber e suprir carências afetivas.
  • Manter a calma em situações críticas.
  • Demonstrar discrição.
  • Observar e tomar resoluções.
  • Manter otimismo em situações adversas.
  • Reconhecer suas limitações e quando e onde procurar ajuda.
  • Demonstrar criatividade.
  • Lidar com a agressividade.
  • Lidar com seus sentimentos negativos e frustrações.
  • Lidar com perdas e mortes.
  • Buscar informações e orientações técnicas.
  • Obedecer a normas e estatutos.
  • Reciclar-se e atualizar-se por meio de encontros, palestras, cursos e seminários.
  • Respeitar a disposição dos objetos da pessoa idosa.
  • Dominar noções primárias de saúde.
  • Dominar técnicas de movimentação para a pessoa idosa não se machucar.
  • Dominar noções de economia e atividade doméstica.
  • Conciliar tempo de trabalho com tempo de folga.
  • Doar-se.
  • Demonstrar honestidade.
  • Conduta moral.

O cuidador está exposto a várias situações de sobrecarga física e emocional devido às exigências e à complexidade de sua função. O manual de cuidadores de pessoas com Alzheimer traz alguns pontos que devem ser levantados para dimensionar o nível de estresse do cuidador ou familiar que exerce esse papel.

10 perguntas que o cuidador deve fazer para si mesmo

  • Tenho pouco tempo para mim?
  • Tenho ajuda de meus familiares?
  • Eu choro com frequência?
  • Venho tendo problemas de saúde?
  • Eu sinto que não estou em boas condições para cuidar do idoso dependente?
  • Eu não passeio, não viajo, evito pessoas, não visito familiares e amigos?
  • Sinto, com frequência, frustração, raiva e tristeza?
  • Sinto-me culpado com a situação atual?
  • Sempre entro em conflito com o idoso que cuido?
  • Tenho me alimentado bem? Tenho dormido bem?

(Fonte: Manual dos cuidadores de pessoas com Alzheimer)

O cuidador, antes de ser um profissional, é um ser humano com necessidades, preocupações, dificuldades e limitações. É um trabalhador que possui não apenas responsabilidades e deveres, mas também direitos. Ele não deve tomar para si a responsabilidade integral pela vida do assistido.

A família deve participar dos acontecimentos e decisões importantes sobre a condução da rotina e atividades diárias de seu familiar que se encontra sob os cuidados de um profissional ou membro familiar.

Além dos direitos trabalhistas, inerentes a qualquer trabalhador remunerado, a declaração dos direitos do cuidador representa as necessidades individuais e o respeito aos seus interesses e planejamento de vida pessoal, fora do ambiente de trabalho.

Declaração dos direitos do cuidador

  • Tenho direito a cuidar de mim.
  • Tenho o direito de receber ajuda e participação dos familiares nos cuidado do idoso dependente.
  • Tenho o direito de procurar ajuda.
  • Tenho o direito de ficar aborrecido, deprimido e triste.
  • Tenho o direito de não deixar que meus familiares tentem me manipular com sentimentos de culpa.
  • Tenho direito a receber consideração, afeição, perdão e aceitação de meus familiares e da comunidade.
  • Tenho o direito de me orgulhar do que faço.
  • Tenho o direito de proteger a minha individualidade, meus interesses pessoais e minhas próprias necessidades.
  • Tenho o direito de receber treinamento para cuidar melhor do idoso dependente.

(Fonte: Manual dos cuidadores de pessoas com Alzheimer)

acompanhante de idosos

Razões para contratar um acompanhante de idosos

Quanto mais novos somos durante a infância, maiores são os cuidados necessários prestados pelos adultos a nossa volta. Na terceira idade, acontece o mesmo só de que modo reverso. Quanto mais idade, maior é o grau de dependência.

O momento em que precisamos decidir pela contratação de um acompanhante de idosos nem sempre é fácil. Afinal de contas, autonomia é um valor fundamental para muitas pessoas. Mas ter o apoio do cuidador traz muitas vantagens. Vamos analisar algumas delas a seguir.

1. Melhorar o bem estar do idoso

O primeiro e mais importante benefício ao contratar um acompanhante de idosos é o bem estar do próprio paciente. O Estatuto do Idoso é explícito quanto à necessidade de promover todas as condições necessárias para que as pessoas mais velhas sejam bem atendidas.

O cuidador está preparado para dar atenção e prestar assessoramento nas mais diversas atividades do dia. Assim, o idoso se sente mais seguro e amparado.

2. Aumentar a qualidade de vida de toda a família

Quando a responsabilidade dos cuidados com os idosos é compartilhada com um profissional, a tranquilidade de toda a família é maior. Manter a qualidade de vida das pessoas à volta do paciente também é importante para que ele não se sinta um incômodo.

3. Administrar corretamente os medicamentos

A terceira idade é a fase da vida com mais propensão à doenças. É raro encontrar um idoso que não precise tomar um ou mais remédios no seu dia a dia. Nem sempre é fácil para ele saber cumprir rigorosamente os horários e dosagens.

Nesse contexto, o acompanhante de idosos desempenha um papel estratégico. Com a medicação em dia, o tratamento é mais eficaz e são evitadas novas doenças.

4. Ter suporte em momentos de emergência

Seja em casos de pacientes com doenças já diagnosticadas ou seja diante de mal súbitos, o apoio de um profissional para os primeiros socorros em emergências é primordial. O acompanhante de idosos é preparado para agir nesses momentos e, caso necessário, contatar a família ou uma ajuda médica.

5. Proporcionar o contato com mais pessoas

O cotidiano do idoso que passa muito tempo sozinho pode desencadear um processo de depressão. Interagir com outras pessoas é uma atitude básica para manter a saúde psicológica. Somos seres sociais e precisamos de contato com os demais.

Quando um cuidador é contratado, ele ajuda na sociabilidade da pessoa idosa. Ele se torna um amigo que apoia o paciente e faz ele se sentir amparado.

6. Contar com o apoio de um profissional com qualificação

O acompanhante de idoso é um profissional qualificado para as funções que exerce. Quando você o contrata por intermédio de uma empresa séria como a Acvida, pode usufruir da tranquilidade de estar oferecendo o melhor cuidado possível para as pessoas mais vulneráveis da família. Isso não tem preço.

E então, o que achou dos motivos para contratar um acompanhante de idosos? Se você tem mais algum argumento importante, deixe na área dos comentários!

Nos vemos em breve no próximo post!

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

9 Comments

  1. Dapaz disse:

    Essa matéria é de grande importância, gostei muito!

  2. Eu trabalho mais não tenho o certificado

  3. Simplesmente Incrível! Você tem muita facilidade para
    escrever um conteúdo inteligente, parabéns, já virei seu
    leitor diário. Estarei aqui mais vezes.

  4. Maria disse:

    Busquei informações precisas do assunto e estou satisfeita. Aos 83 anos e 9 meses, desejo saber o que se refere a quem continua aqui.

  5. Bom dia Sou cuidadora de idoso tipo acompanhante dedicada e naturalista ótimos cuidados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preciso de um Cuidador