Mal de parkinson
Mal de Parkinson: como o cuidador pode ajudar no tratamento de pessoas
22 de maio de 2019
Pneumonia em idosos
A pneumonia em idosos: por que devemos manter a atenção?
5 de junho de 2019
Exibir tudo

Estresse em Idosos: confira os 5 principais sintomas

estresse em idosos

O estresse é um mal que atinge pessoas de todas as faixas etárias. Contudo, é na terceira idade que muitos indivíduos estão mais propensos a esse distúrbio.

As origens do estresse em idosos podem ser inúmeras. Em geral, elas estão ligadas às restrições que o avanço da idade impõe, especialmente no que diz respeito a sua autonomia.

O novo estilo de vida, menos ativo do que era antes da chegada da aposentadoria, é um fator comum. Além disso, problemas inesperado como a perda do cônjuge e crises financeiras também estão entre as causas do estresse em idosos.

Independentemente de que desencadeou essa situação, é fundamental estar atento aos sintomas. Somente assim, um diagnóstico preciso pode ser realizado e, consequentemente, o tratamento para resolver o problema e impedir que ele se torne crônico.

Na publicação de hoje, você terá dicas para identificar o distúrbio e práticas que ajudam a amenizá-lo. Acompanhe conosco!

5 sintomas de estresse em idosos

O estresse em idosos pode aumentar gradativamente e ocasionar outras doenças. Algumas delas são: hipertensão, insônia, diabetes, azias, doenças cardíacas, depressão, entre outras.

Por isso, fique de olho nos 5 sintomas a seguir. Eles foram elencados em um estudo da Escola de Medicina de Harvard.

1. Falta de concentração

O idoso estressado tem muita dificuldade em se concentrar. Hábitos que anteriormente eram comuns acabam se tornando mais uma fonte de estresse, justamente por não ser mantido o foco mesmo se esforçando para tal.

Observe mudanças bruscas de atitude diante de atividade simples como ler um livro, assistir televisão, cozinhar, entre outros.

2. Problemas gastrointestinais

A perda do apetite e alterações de peso também estão associadas ao estresse em idosos. Repare se a pessoa costuma reclamar constantemente de dores estomacais e abdominais ou de sentir-se desconfortável depois das refeições.

3. Dores de cabeça e nas costas

A tensão causada pelo estresse normalmente leva a dores de cabeça e enxaquecas. Além disso, dores recorrentes nas costas e na coluna também se manifestam. Esses são sinais que o organismo humano dá de que alguma coisa não vai bem.

4. Palpitações cardíacas

O estresse em idosos costuma causar palpitações cardíacas que estão relacionadas ao sistema nervoso. Fique de olho em situações como essa e monitore a pressão/batimentos cardíacos da pessoa afetada.

5. Irritabilidade

Mudanças bruscas de humor, do mesmo modo, estão dentre os sintomas do estresse. Se o idoso era uma pessoa calma e repentinamente começa a agir com nervosismo e irritação, esse é um sinal de que a pessoa precisa de um acompanhamento profissional.

Cuidados recomendados para evitar o estresse em idosos

Agora que você já sabe sobre os 5 principais sintomas de estresse em idosos, vamos partir para dicas práticas de como controlar essa situação. Essas atitudes não substituem o acompanhamento médico mas colaboram muito para ajudar no tratamento e aumentar o bem estar do paciente.

Procure oferecer ao idoso:

  • Alimentação equilibrada: refeições sem controle e carentes de determinados minerais e vitaminas causam lacunas nutricionais que agravam o quadro de estresse em idosos. Tenha cuidados redobrados com a alimentação, se necessário com a orientação de um nutricionista. Isso pode reduzir os sintomas significativamente;
  • Prática de exercícios: as atividades físicas ajudam a liberar substâncias relacionadas ao prazer e ao bem estar na corrente sanguínea, como as endorfinas. Ainda que haja uma resistência inicial, não deixe o idoso cair no sedentarismo. Os exercício combatem o estresse e são fundamentais para evitar uma série de outras doenças;
  • Ocupação do tempo: deixar o idoso sempre sozinho e sem atividades para ocupar a mente é um fator de risco para desencadear estresse. Encoraje-o ou proporcione momentos de lazer e que façam o paciente se sentir produtivo. Cursos e oficinas são sugestões interessantes;
  • Convívio social: deixar pessoas mais velhas sozinhas e isoladas do convívio social é extremamente prejudicial para a sua saúde emocional. Evite o estresse em idosos propiciando momentos de interação com outras pessoas ou com um cuidador;
  • Mudança de postura: a maneira como usamos o nosso corpo também impacta a saúde interna. Procure ajudar o idoso a manter a postura e ter autoestima.

Assim, encerramos as dicas do dia.

Curtiu? Então, que tal compartilhar nas suas redes?

Desde já agradecemos. Até a próxima!

Adriano Colodette Machado
Adriano Colodette Machado
Fundei a Acvida em 2012 após uma necessidade familiar. Por mais de doze anos, minha avó paterna, Dona Benedita, precisou de acompanhamento por cuidadores. Nossa família encontrou todo tipo de dificuldade para atendê-la: pequenos furtos, profissionais pouco qualificados, até maus tratos. Não foi fácil. Mas contornamos os problemas e conseguimos oferecer a ela todo o carinho e conforto que merecia. Percebi uma demanda reprimida por serviços profissionalizados, e com minha experiência em negócios (desde 2003) criei a Acvida. No Blogdocuidado vou compartilhar essa bagagem com nossos leitores. Espero que gostem ;-)

1 Comment

  1. Jeová jesus Monteiro disse:

    Bom dia essas informações são muito satisfatória para nós,obrigado pelas mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preciso de um Cuidador