Cuidados do cuidador
Cuidados do cuidador
30 de junho de 2020
Depoimentos de clientes
Depoimentos de clientes Acvida
2 de julho de 2020
Exibir tudo

Ética profissional do cuidador de idosos

Ética profissional do cuidador de idosos

A ética profissional do cuidador de idosos no trabalho é essencial para a paz no lar. Assim como os outras categorias, o trabalhador doméstico também tem regras morais e éticas a seguir.

Leia também:

Bem estar no trabalho do cuidador de idosos

Uripen: entenda como funciona

Sono em idosos: conheça as alterações

Medicamento para idosos: atenção redobrada

O que significa ética profissional do cuidador de idosos

Ética significa um conjunto de regras importantes para um grupo ou uma sociedade.

A ética no trabalho é composta por regras, normas de conduta e comportamentos que são aceitáveis para uma instituição ou família. Há qualidades que são inerentes a qualquer pessoa em toda situação e que fazem parte do caráter. No trabalho, podemos atribuir algumas características que fazem parte de uma conduta ética adequada, tais como:

  • Honestidade;
  • Compromisso com a verdade;
  • Humildade;
  • Justiça;
  • Pontualidade;
  • Respeito;
  • Solidariedade;
  • Cordialidade;
  • Educação;
  • Decoro;
  • Imparcialidade.

Características contrárias do comportamento ético

  • Não assumir um erro;
  • Fazer críticas pelas costas e comentários não construtivos (fofocas);
  • Receber vantagens (de valor ou não) indevidamente;
  • Divulgar informações sigilosas;
  • Apropriar-se do que não lhe pertence, seja patrimônio institucional ou de outra pessoa;
  • Confundir relação profissional com pessoal;
  • Violar correspondência de terceiros.

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE, 2008), empregado(a) doméstico(a) é “aquele(a) maior de 16 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas”.

O que é a ética no trabalho doméstico

O trabalho doméstico tem o foco na prestação de serviços com objetivos de promover bem-estar e conforto às famílias que são atendidas. Evitar que a relação de trabalho se torne conflituosa depende de uma postura ética e moral quem oferece o trabalho de quem o executa. O cumprimento das exigências da legislação trabalhista também deve ser encarado como uma atitude ética, além de uma obrigação legal.

“Ética é o que você faz quando está todo mundo olhando. O que você faz quando não tem ninguém por perto, chama-se caráter.”

(Autor desconhecido)

“Você tem que entregar o que prometeu, não importa o que aconteça.”

Sylvio Ferraz (empresário)

Ética do profissional doméstico

O trabalho doméstico ainda é desempenhado majoritariamente por mulheres, que realizam as tarefas de limpeza, organização e alimentação. Mas não podemos esquecer que as atividades de motorista, jardineiro e mordomo também são trabalhos enquadrados como trabalhos domésticos e são comumente desenvolvidos por homens.

O que determina a natureza doméstica do trabalho é o local onde ele se insere e a finalidade desse trabalho. O local deve ser um espaço onde residam pessoas. Uma residência não gera lucro para quem mora, portanto a característica fundamental do trabalho doméstico, para ser enquadrado como tal, é:

  • Ser desenvolvido dentro de uma residência e em prol dos moradores e sem fins lucrativos.
  • No ambiente doméstico, o cuidado com a postura deve ser redobrado, pois se trata de um ambiente informal, de descanso e lazer para quem reside, mas ao mesmo tempo é o local de trabalho para o funcionário.
  • Além de todos os valores inerentes ao caráter, devemos prestar bastante atenção para não extrapolar os limites de invasão à privacidade dos patrões.
  • Os costumes familiares são importantes para dimensionar o perfil do funcionário, mas alguns hábitos são bem recebidos em todos os lugares.

Discrição: a presença de um funcionário trará tanto benefícios quanto transtornos, e só será vantajosa se os primeiros superarem os segundos. Num ambiente doméstico, os transtornos são muito relacionados à presença de uma pessoa estranha dentro da casa, por isto pessoas discretas têm maior chance de sucesso. Evite qualquer atitude que chame a atenção para si. Mantenha o foco de suas ações na qualidade de seu trabalho e deixe que seu empregador perceba isso. Por exemplo: fale num tom de voz baixo, seja cortês (com licença, por favor, obrigado, bom dia/tarde/noite…), deixe seu celular no silencioso e abaixe o volume do rádio e televisão.

Presteza: mostrar-se sempre disposto para o trabalho é sempre uma atitude positiva.

Vestimenta adequada: não use decotes ou roupas insinuantes, não utilize sandálias abertas, exceto se expressamente permitido. Converse com seu empregador para definir o que é aceitável.

Respeito: é fundamental para uma relação de trabalho saudável e duradoura entre empregados e patrões.

Boa aparência e boa higiene corporal: são importantíssimos, especialmente para aqueles que preparam alimentos. Quem tem segurança de comer algo preparado por uma pessoa suja e que aparenta desleixo, exalando odores desagradáveis?

Comunicação verbal adequada: não usar gírias e termos chulos, usar português correto. Lembre-se: sua comunicação pessoal é seu cartão de visitas.

Nunca mentir ou omitir informações importantes: se quebrou algo ou estragou algo, informe imediatamente.

Organização: é sempre importante ao desenvolver as tarefas, deixando isso claro para o empregador. Ter em mente as tarefas do dia, executando-as por ordem de prioridade.

Zelo: deve ser mantido em relação ao ambiente e objetos pessoais dos moradores da casa. Seja cuidadoso(a) e a família ficará muito segura em tê-lo(a) como funcionário(a).

Telefone: não deve ser usado na residência, exceto se expressamente permitido pela família. Usar o celular apenas após delimitar os locais e horários permitidos com a família.

O uso indevido do celular, hábito que leva o profissional à queda na produtividade e até acidentes.

Sabemos que atualmente o celular se tornou um objeto indispensável ao dia a dia das pessoas. Mas infelizmente muitas se deixam levar pelos atrativos que um aparelho oferece e se tornam escravos disso. Deixando a desejar no trabalho e até mesmo na convivência familiar.

Não se apossar de qualquer objeto ou alimento sem autorização: apenas a família tem autonomia para decidir sobre seus pertences, mesmo que não tenham mais utilidade. Não transitar pelas dependências que não fazem parte de seu ambiente de trabalho ou fora do horário que estiver realizando seu serviço.

Evitar desperdícios: usar produtos de limpeza de forma racional. Mantenha o hábito de avisar sempre que algum produto importante para seu trabalho esteja acabando em tempo hábil, para que ele possa ser reposto ou providenciado. O mesmo vale para medicamentos cujo controle seja de responsabilidade dos funcionários, como é o caso de cuidadores de idosos.

Atentar para a validade e conservação de alimentos: ninguém gosta de jogar dinheiro fora, especialmente com desperdício e descarte de comida. Os funcionários domésticos devem zelar para que isto não ocorra em seu local de trabalho.

Hábitos familiares

Conhecer os hábitos da família pode ajudar a estreitar as relações e evitar problemas. Levantar algumas questões junto aos familiares pode auxiliar o funcionário a realizar melhor suas atividades, além de transmitir mais segurança aos empregadores:

Existem pessoas na residência com condições de saúde especiais? Quem? Que tipo de cuidado necessita? Como proceder em caso de emergência? Existem pessoas alérgicas na casa? Quem? Quais são os fatores que podem desencadear alergias conhecidas? Como proceder em caso de emergência? Quais são os telefones dos familiares? Quais são os telefones dos principais serviços de saúde utilizados, como hospitais, ambulâncias, médicos, planos de saúde, clínicas, laboratórios?

Algum morador tem rotina de medicamentos rígida? Está escrita? Onde se encontra? Quais os alimentos preferidos de cada membro da família? Existem fatores que possam gerar perturbação na casa, como algum tipo de música, programa de televisão, falta de algum alimento específico? Que perfil, temperamento, habilidades específicas e experiências o funcionário deve ter para agradar a família?

Faça estas perguntas diretamente a seu empregador, ele irá gostar de saber do seu interesse por estas atribuições. As respostas às perguntas ajudarão o funcionário a aumentar suas chances de sucesso no emprego e a alinhar as expectativas que a família depositou nele, diminuindo a ansiedade do patrão e dos empregados.

Para saber mais sobre assuntos de interesse de empregadores de cuidadores, conheça a ABECI (Associação Brasileira dos Empregadores de Cuidadores de Idosos): clique aqui

Editorial Acvida
Editorial Acvida
O Editorial da Acvida Cuidadores é feito por nossa equipe de conteúdo, que inclui especialistas em cuidados paliativos, em administração de equipes de cuidadores e jornalistas. Seu objetivo é trazer informações relevantes a todos os envolvidos no trato das pessoas incapacitadas de realizar o autocuidado. Reuniremos artigos médicos e científicos, publicações jornalísticas relevantes, recomendações e entrevistas com especialistas, relatos de pessoas que passaram pela experiência de cuidar de um ente querido, enfim, tudo o que possa ajudar nossos leitores a trazer qualidade de vida para idosos, familiares e cuidadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *